A fina sintonia dos intérpretes

Publicado na edição 36 da Revista Piauí, este artigo de Dorrit Hazim é leitura imperdível para quem quer saber mais sobre a profissão do intérprete. Recheado de anedotas sobre Lula, Kissinger, Gorbachov em seus contatos com intérpretes, o artigo traz uma visão interessantíssima dos bastidores da política externa sob o prisma do intérprete e também fala sobre a interpretação de conferências, que nada mais é do que a velha e boa tradução simultânea, descrita como “um formato mais anônimo e impessoal do métier”.

 


Como insider view sobre a interpretação, acho que não conheço artigo melhor. São abordados desde os assuntos mais manjados, como o suegimento da tradução simultânea durante o Tribunal de Nuremberg até detalhes menos conhecidos, como as particularidades caustrofóbicas e quase insalubres das cabines de tradução simultânea. Outro assunto que ganha destaque é o inabalável compromisso do intérprete em relação ao sigilo.  

 Para fechar o post, deixo aqui uma ótima descrição do trabalho do intérprete de conferências:

“A beleza do ofício não está na destreza mecânica do intérprete, e sim na sua habilidade em conseguir optar, numa fração de segundos, entre alternativas sintáticas de um idioma para melhor traduzir o que está sendo dito em outro. Sobretudo, ao contrário do que se imagina, a essência do ofício não está no conhecimento puro de duas ou mais línguas, mas no domínio absoluto de uma delas (a língua A ou língua-mãe), e na capacidade de usá-la em toda sua extensão. O talento está em captar as intenções do orador muito além das palavras que ele pronuncia. Intérpretes são comunicadores, são meios de transmissão. Não se trata de traduzir palavra por palavra, mas de transmitir uma mensagem capturada numa língua e reconstruída com fidelidade em outra. Tudo isso em tempo real, sob pressão. Dado que o intérprete simultâneo ouve e fala ao mesmo tempo, ele precisa aprender a ouvir seletivamente, focando mais no sentido daquilo que é dito do que, individualmente, em cada palavra.”


uma resposta para “A fina sintonia dos intérpretes”

  1. April 19th, 2011 at 15:56

    daniel polensvaig diz:

    spectacularrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrr!!!!!
    only a GOOd interpreter will ever know what this article really means.
    Congrats.
    Danny from Argentina

Deixe seu comentário